A Apple parece não gostar nada que nomes e aparências de frutas cheguem a nomes ou logotipos de outras marcas. Recentemente soube-se que a gigante de Cupertino processou judicialmente uma empresa cujo logotipo é uma pera.

De facto, apesar de estar a dar que falar ultimamente, o problema não é, de todo, recente. Deverá ter começado em 2017 quando a Super Heathy Kids tentou registar a marca da aplicação Prepear, que tinha acabado de desenvolver e cujo ícone era (e continua a ser) uma pera.

Nesse sentido, os responsáveis pelo registo de marcas nos Estados Unidos da América consideraram, na altura, que o logotipo não entraria em conflito com qualquer outra marca já registada. No entanto, a lei dos EUA requer que o registo seja publicado por um período de tempo para que outras empresas se possam opor. Como é óbvio, a Apple opôs-se.

A Super Health Kids é uma pequena empresa, com apenas cinco elementos, e que teve de chegar a demitir um dos funcionários para conseguir sobreviver a todas as taxas legais que foi obrigada a pagar devido à ação da Apple.

A esperança de que a Apple poderia vir a recuar nesta ação levou a pequena empresa a lutar de todas as formas possíveis, tendo mesmo Russel Monson, o cofundador da Prepear, chegado a lançar uma petição pública no Change.org para tentar que a Apple mudasse de ideias. No entanto, independentemente do número de assinantes da petição, a Apple não desistiu e acabou por levar o caso a níveis superiores e ainda mais caros.

Dos EUA ao Canada

Ao que parece, a gigante de Cupertino tomou medidas já noutros países. Segundo se sabe, a Apple terá alegadamente duplicado os esforços para conseguir que a Prepear não fosse registada, tendo levada a luta até ao Canada. Dessa forma, a Apple mostrou que está dedicada a impedir que a marca não seja registada em qualquer parte do mundo.

A Prepear afirmou que:

"Através de conversas entre o nosso advogado e a equipa jurídica da Apple, descobrimos que, não só a Apple se iria continuar a opor contra o nosso logotipo, mas pior, tomaram medidas extra para impedir que o mesmo fosse registado como uma marca registada, ao apresentarem uma oposição adicional contra a nossa marca registada no Canada."

Apesar das aparentes esperanças, por parte da Prepear, de que a Apple iria acabar por ceder, o assunto parece estar a tomar o caminho completamente oposto. Mesmo tendo já a empresa partilhado a petição pública com a equipa de relações públicas da Apple, ainda não obtiveram nenhuma resposta.

Em seguimento do silêncio da Apple, a Prepear acabou por deitar mais lenha para a fogueira e alegadamente acusar a empresa da maça de fazer bullying.

"Isto não são apenas os advogados da Apple a serem advogados, parece que a organização da Apple os apoia. Como acontece com todo o bullying, o silêncio acerca do comportamento do agressor é a mesma coisa que apoio."

No final de contas, a Prepear continua a defender a sua posição e afirma que não vai desistir desta luta contra a Apple, mais que não seja para mostrar que empresas grandes como esta "não podem fazer bullying a empresas mais pequenas, sem consequências".

Alterar o logo da empresa também acabaria por representar um gasto enorme, da mesma forma que iria implicar mudanças na marca inteira, algo que a Prepear não tenciona fazer.

Esta é sem dúvida uma situação complicada que divide opiniões. Partilha a tua connosco nos comentários! Concordas com a atitude da Apple ou estás do lado da Prepear?