A Apple prepara-se para por um ponto final na parceria fechada com a Intel há 15 anos, passando a desenvolver os seus próprios processadores para o Mac.

Não foi com espanto que na WWDC 2020 vimos a empresa confirmar o abandono da parceria, fechada há altura por Steve Jobs. A transição já era especulada há muito tempo, sendo que nos chega agora na forma do Apple Silicon, o processador que irá alimentar futuros Macs. De acordo com Johny Srouji, líder da equipa de processadores da gigante de Cupertino, a transição irá permitir criar Macs mais poderosos e eficientes.

Para que os desenvolvedores possam começar desde já a preparar as suas aplicações para os Macs com Apple Silicon, a gigante da Maçã apresentou o Developer Transition Kit, que é nada mais nada menos que um Mac mini equipado com o processador A12Z Bionic - que podemos encontrar no atual modelo do iPad Pro-, com a mesma arquitetura dos Apple Silicon. Este hardware de testes chega com 16GB de RAM, 512GB de SSD, a rodar a versão beta do macOS Big Sur.

Entretanto e com a distribuição das primeiras unidades deste DTK aos desenvolvedores já surgiram os primeiros benchmarks ao hardware, que mostram a sua capacidade de brilhar. No Geekbench 4, o processador apresentou uma pontuação de 3879 single-core e 11384 multi-core. Que o colocam a par do iMac de 2013 com o processador Intel Core i5 de 4 núcleos a 3.2GHz ou do MacBook de 15” do mesmo ano com processador Intel Core i7 de 4 núcleos a 2.7GHz.

Já no Geekbench 5 o A12Z teve em média uma pontuação de 811 em single-core e 2781 para multi-core. Ou seja é só cerca de 20% mais lento que os resultados de single-core do MacBook Air de entrada, com um chip Intel Core i3, mas 38% mais rápido em multi-core.

Recordamos que estamos a comparar resultados de benchmarks executados num programa que está preparado apenas para rodar na estrutura do macOS x86 (64 bits), ou seja significa isto que eles foram executados com o Rosetta 2, a ferramenta da Apple para emular Macs x86 nos processadores da Apple baseados em ARM.

Quando comparamos este Mac com chip A12Z, com a mais recente aposta da Microsoft (Surface Pro X) a rodar na mesma arquitetura de chips ARM, vemos realmente que a Apple já vai à frente e nem se esforçou para isso... O Surface Pro X mostrou resultados a rondar os 600 pontos em single-core e cerca de 2600 em multi-core.

De notar também que este processador A12Z Bionic não é o que a Apple pretende usar nos Macs. A empresa promete lançar a sua própria linha de processadores para Mac ainda este ano, em conjunto com um novo hardware. A transição vai ocorrer nos próximos dois anos, por isso, não estranhem se virem só um processador chegar agora e com o tempo aparecerem mais variantes.

Ainda é cedo para tirar qualquer tipo de conclusões sobre a nova geração de Macs que está a chegar. Certo é que este parece ser o futuro da marca da Maçã, com total controlo do hardware e períodos de atualização dos seus produtos. Algo que já víamos no iPhone e iPad e que não acontecia no Mac. A Apple não está para brincadeiras...

E tu? Irás permanecer com o teu computador atual ou planeias fazer o upgrade para a nova geração de Macs, com Apple Silicon?