Na primeira audição preliminar foram ouvidos os advogados, tanto da Apple como da Epic Games, tendo já a juíza proferido as medidas preventivas.

Aqui no iFeed temos vindo a acompanhar a “novela” que coloca frente a frente as duas empresas, naquilo que promete ser uma batalha longa na barra dos tribunais.

Ontem tiveram lugar as primeiras audições resultantes dos pedidos urgentes da Epic Games para prevenir suspensão de todas as suas contas do Programa de Desenvolvedores da Apple, bem como da retirada do Fortnite da App Store.

Para além do jogo Fortnite e outros, está também em causa a Unreal Engine, uma plataforma de criação avançada de jogos 3D em tempo real, usada por muitos desenvolvedores em todo o mundo como base dos seus jogos, sendo esta também propriedade da Epic Games.

Ao ver todas as suas contas revogadas, a Epic Games perderia não só todo o acesso a ferramentas essenciais para o desenvolvimento de jogos, mas também para o desenvolvimento da plataforma Unreal Engine, afetando assim muitas mais empresas.

A juíza responsável iniciou as audições referindo que a sua intenção inicial era, por um lado dar razão à Apple e manter suspensa a presença do Fortnite na App Store, e por outro dar razão à Epic Games e manter ativas as contas e ferramentas da Unreal Engine.

Depois de ouvidos os argumentos de ambos os representantes, a juíza manteve a sua opinião, tendo por base a alegação de que a Unreal Engine não terá violado qualquer regra, e até novas alegações o Fortnite, esse sim não estará isento de culpas.

Ainda antes de um julgamento mais definitivo, haverá novo confronto preliminar no processo de tentativa da Epic Games de forçar a reintrodução do Fortnite na App Store, este terá lugar mais para o final de setembro de 2020.

Com efeito, poder-se-á considerar um empate técnico neste primeiro confronto judicial das duas empresas.