Desde o Apple Watch Series 2, o primeiro modelo do relógio inteligente da maçã que chegou ao mercado com habilidades de resistência à água, a Apple oferece uma tecnologia interessante para auxiliar na ejeção de água dos altifalantes, utilizando apenas som e vibração.

E ao que tudo indica, esse recurso não será mais exclusivo do Apple Watch, e pode estrear em versões vindouras do iPhone, pelo menos é o que sugere uma patente recém-garantida à gigante de Cupertino e exposta pelo site Patently Apple.

Diagrama mostra recurso similar ao do Apple Watch no iPhone
Diagrama mostra recurso similar ao do Apple Watch no iPhone

A patente em questão foi originalmente registada em 2019, mas só foi publicada na terça-feira (08) pelo USPTO (US Patent and Trademark Office). Os diagramas na documentação detalham o uso do recurso, que está presente de forma similar à que conhecemos no Apple Watch Series 2.

É possível ver os altifalantes e um módulo de sensor com cobertura hidrofóbica para repelir a água, reforçando as habilidades à prova d'água do iPhone e prevenindo que líquidos entrem nas colunas e lá permaneçam, o que poderia acabar por danificá-las. No documento podemos ler algo como:

"Quando o dispositivo eletrónico portátil (iPhone) é exposto à água salgada, por exemplo, durante uma sessão de surf em Santa Cruz, os cristais de água salgada podem deixar um resíduo na barreira da malha acústica quando ela se evapora. Consequentemente, o diafragma pode ser accionado para remover suficientemente os cristais da malha acústica."

Percebe-se também no documento que, quando estamos a falar de líquidos, não significa apenas água doce mas também água salgada, sendo capaz de detetar a presença de cristais de sal nas grades dos altifalantes e até mesmo alguns gases. Ou seja, muito em breve pode ser que o iPhone se torne verdadeiramente à prova d'água, incluindo proteção contra água do mar.

Infelizmente não há como saber quando (ou se) a Apple vai, de facto, estrear a tecnologia na sua linha de smartphones, afinal de contas, muitas patentes são registradas apenas para proteger propriedade intelectual e jamais chegam a ver a luz do dia em lançamentos comerciais – vamos torcer, é claro, para que este não seja o caso.

Um smartphone com design interessante

Uma pequena curiosidade em relação ao design do smartphone que a Apple apresenta na imagem da própria patente é a sua semelhança a um determinado produto de outra empresa.

Pois bem, de facto, o design da patente faz lembrar (e muito) o do Google Pixel 4, lançado em 2019.

Google Pixel 4, lançado em 2019
Google Pixel 4, lançado em 2019

Semelhanças à parte, é apenas uma curiosidade e nada de muito concreto mas que deixa que pensar. Poderá a Google ter-se inspirado numa patente da Apple para projetar o design do seu Pixel? De qualquer forma, o importante realmente é que este acabou por se tornar num smartphone bastante bonito.