Gcode Factory: do skate aos acessórios para iPhone - uma reciclagem distintiva

Queres ler acerca um projeto inovador que converte refugo em acessórios e produtos exclusivos, amigos do ambiente e esteticamente surpreendentes? Estás no sítio certo.

Vivemos tempos em que a necessidade de etiquetagem das coisas constitui uma realidade incontornável. São muitas as ideologias e os conceitos que alimentam a construção destas etiquetas. Em português ou em inglês, as expressões criadas servem para definir toda uma prática ou coisas tão simples como correr ou jogar.

Termos como empreendedorismo e pegada ecológica estão na ordem do dia, fazendo correr muita tinta nos jornais (ou pelas páginas da Internet) e alimentando um sistema que visa a melhoria urgente do mundo em que habitamos.

O problema é que, por muito que se hasteiem as bandeiras pelas grandes causas, não são poucas as vezes em que, passando a expressão coloquial, tudo isso é da boca para fora, só para parecer bem em sociedade.

E depois há exemplos como a Gcode Factory, que vos trago aqui em primeiríssima mão! Fundada por Francisco Varela no final de 2015, tem como lema “Manufacturing your Idea”, ou seja, no nosso português, “Fabricando a tua ideia”.

Francisco Varela, fundador da Gcode Factory
Francisco Varela, fundador da Gcode Factory

Francisco, hoje com 37 anos, explica-nos como começou o seu percurso:

Acabei arquitetura, entrei num estágio em concurso nacional entre engenheiros e arquitetos para ir trabalhar para a Sika, a líder mundial de produtos químicos para construção e indústria, onde trabalhei um ano. Foi um percurso em que aprendi muito sobre a ligação entre os materiais. Depois tirei um curso de Grasshopper [algoritmo gráfico para modelação em 3D], outro de Digital Fabrication.

Munido de novos conhecimentos técnicos, Francisco Varela especializou-se, portanto, em ferramentas de fabricação digital como CNC (Computer Numerical Control), Impressão 3D, máquinas laser, fresadoras, etc., tendo obtido o grau de Master.

E é neste ponto que surge o empreendedorismo, mas na verdadeira aceção da palavra. Arquiteto com especial predileção por madeira, levou a cabo as devidas diligências no sentido de compreender se existia no mercado um nicho para os acessórios de madeira que perspectivava. Sentindo que havia espaço para não apenas entrar, como principalmente inovar, fundou a Gcode Factory, designação inspirada justamente no código que contém os comandos orientadores dos movimentos nas impressoras 3D.

Preciso de trabalhar com as mãos

Cansado de dias infindáveis à frente de um computador a trabalhar em AutoCAD, Francisco orientou todos os seus esforços e recursos nos cinco anos que se seguiram para a fabricação de capas de telemóvel.

Mas, perguntarão os leitores, capas há muitas! Só que não como estas. Sim, vou agora recorrer a mais uma etiqueta, reforço, na verdadeira aceção da palavra: reciclagem. A Gcode Factory adquire os pequenos lotes do desperdício da folha de madeira das grandes indústrias nacionais. Nogueira, bétula, pau roxo, mogno, tudo é natural, permitindo o aproveitamento da cor característica de cada espécie. Ok. E ainda assim, o que torna esta virtuosa ação distintiva?

A tecnologia que está por detrás da folha de madeira. Não se aplica apenas a uma capa de telemóvel. Uma das fábricas com que trabalhamos, que faz a transformação [das folhas de madeira], o equilíbrio, etc., é uma marca que trabalha com a Bentley, Rolls Royce, Jaguar em todas as forragens de interior, o que assegura que a madeira não estala. Para uma capa de telemóvel, é o melhor produto que uma pessoa pode ter.

Utilizando capas tipo bumper em materiais ecológicos, ou seja, reforçadas nas suas laterais e no perímetro das saliências das câmaras traseiras. Não tendo produtos em stock, a empresa trabalha em função das encomendas definidas pelos seus clientes com uma periodicidade semanal.

A GCode Factory alia toda esta segurança e robustez à terceira etiqueta: personalização. Muito embora dispondo de um considerável catálogo, a visão do cliente é literalmente concretizada num produto premium. E nem outra coisa se esperava para os nossos iPhone (muito embora a empresa fabrique igualmente para smartphones Samsung e Huawei).

Bom, mas se tudo ficasse por aqui... é que o empreendedorismo implica inovação, movimento e distinção. Implica nem perguntar porquê, porque simplesmente queremos este produto e não outro. E eis que, em pleno início deste malogrado período pandémico, no início de 2020, Francisco Varela deu um brilhante passo em frente: a re.SK8.

Seguindo a filosofia da GCode Factory, esta linha de produtos utiliza exclusivamente o refugo do mundo do skate, norteada pelo lema: Re.use, re.shape, re.charge. Disse-me Francisco Varela:

É uma madeira premium para trabalhar, com uma resistência brutal. Geralmente um skater por ano compra duas, três tábuas. Mas já um skater profissional, de dois em dois meses troca de tábua. E geralmente, ou guardam, ou atiram para o lixo. E então pensei: pá... espera aí... isto é muito despercício. Então uma pessoa pode aproveitar isso e trazer valor à peça porque é única. Os skates são todos colados, e quando se faz o corte, o padrão tem sempre cores diferentes.

E como uma verdadeira empresa empreendedora constroi redes, entre as várias parcerias que celebrou desde a sua fundação (Sport Lisboa e Benfica, Sporting Clube de Portugal, Futebol Clube do Porto e Worten), a Gcode Factory tem uma presença muito forte nas empresas e instituições associadas, evidentemente, ao skate: Ericeira Surf & Skate, 58 Surf, PopSkateShop, o podcast The Board Show e a própria Liga Pro Skate, da qual é um dos patrocinadores.

A questão é que tal matéria prima não se resume apenas a capas de telemóvel. Nem poderia, tal é o seu efeito no produto final, de que falarei em artigos posteriores. A re.SK8 tem toda uma linha em desenvolvimento especificamente para telemóveis, da qual, para além das capas, podes comprar um carregedor wireless e um apoio de secretária.

Mas como se não bastasse, tens ainda relógios de parede e peças de mobiliário exclusivas, todas feitas à mão por Francisco Varela.

Tive a oportunidade de o entrevistar no seu atelier, onde testemunhei em primeira mão a extraordinária fusão entre a inovação tecnológica (quer nos processos de fabrico até ao próprio produto final) e a excelência do artífice, desde a concepção à execução do trabalho de carpintaria artesanal, de que foi exemplo uma secretária com carregamento wireless embutido. Tudo feito por encomenda, peça a peça.

Se reutilizarmos a madeira de diferentes skates partidos e comprimirmos, obtemos um bloco de madeira com um padrão único. Cortando e trabalhando à mão cada bloco, nasce uma nova linha de produtos amigos do ambiente e únicos!
Ao reutilizar e remodelar a madeira de maple canadiano, estamos a recarregar os skates partidos com uma nova vida!

E eu só imaginei que adoraria de ter uma secretária destas com estes meninos em cima. A tal nova vida que recarrega a própria vontade de me sentar e trabalhar num ambiente absolutamente inspirador.

E é isto: a Gfactory, com a sua recente gama re.SK8 estão cá para durar. Basta uma ideia. Uma boa ideia, e as possibilidades são ilimitadas, desde que o empenho perdure. Encerro este artigo "passando a bola" para todos o que me estão a ler, com as palavras de Francisco Varela:

Somos uma pequena ação da mudança. A mudança só acontece no consumidor. Porque ele tem consciência disso ao comprar produtos. E nós fazemos parte disso. Parte dessa mudança.

Clica aqui para o website da Gcode Factory e aqui para a gama re.SK8!