Há 9 anos e com Steve Jobs no leito de morte a Apple dava um dos maiores passos em direção ao futuro da tecnologia. Raramente a empresa Maçã foi pioneira em alguma coisa e naquele dia, 4 de outubro de 2011, fazia-se história com a chegada da Siri. Era dado o pontapé de saída para a corrida das assistentes virtuais, corrida esta que só se veio a tornar realmente competitiva anos mais tarde, com a chegada da Amazon Alexa, Google Assistant, entre outras.

A Siri foi apresentada como uma das grandes inovações do iPhone 4S, que poucas novidades mais trazia para além do seu novo processador Apple A5 e da correção no problema das antenas do modelo anterior.

A Siri vinha permitir aos utilizadores fazerem questões ao iPhone, sobre o tempo, agendar eventos no calendário ou lembretes, saber alguma informação do motor de busca, etc. Tudo através de comandos de voz.

Ao princípio era muito limitada, funcionando apenas no iPhone e não permitindo qualquer contexto de conversa nem dialogar muito. Mais tarde veio permitir tudo isso, a sua voz tornou-se muito mais natural e claro que se expandiu para toda a ampla gama de dispositivos da Apple. Pelo caminho até ganhou direito a ter o seu dispositivo dedicado, a coluna inteligente HomePod.

Volvidos 9 anos não se nota lá muito a sua evolução, é um facto de que a Apple tentou fazer melhorias nela mas o problema é sempre o mesmo: Não é tão boa quanto as suas concorrentes, foi mesmo ultrapassada! E este, é um erro que a Apple paga caro nos dias de hoje. Falta é saber se o vai continuar a fazer por muito mais tempo.