Passamos em revista os principais lançamentos da Apple no ano 2020

Passamos em revista os principais lançamentos da Apple no ano 2020

Nuno Rocha
∙ 8 minutos de leitura

O ano de 2020 para os lados de Cupertino foi movimentado no que toca a lançamentos e até à reta final houve novidades.

O ano que agora termina foi de mudança, de adaptação ao “novo normal", de superação e acima de tudo uma ode à resiliência do ser humano. São complicados os momentos que ainda vivemos, contudo se todos remarmos na mesma direção, a luz ao fundo do túnel aproximar-se-á mais rapidamente.

O mundo da tecnologia não foi imune à pandemia e às suas consequências, mas as empresas souberam adaptar-se e superar muitas dificuldades para seguirem o seu caminho.

A Apple, apesar de financeiramente ter suplantado esta fase com distinção, sobretudo alavancada pelas vendas de Macs e iPads que na fase de confinamento e teletrabalho, teve que ultrapassar muitos obstáculos, principalmente relacionados com a produção e distribuição dos seus produtos.

Também as Keynotes de lançamentos de novos produtos mudaram os seus moldes, e prescindiram da habitual moldura humana nas plateias, passando no caso da Apple para eventos gravados transmitido online. E que bem que se saíram, pessoalmente não voltaria mais ao antigo formato, foram proporcionados eventos bem realizados, mais rápidos e concisos.

Foram muitos os lançamentos da Apple em 2020, e apesar dos contratempos que provocaram alguns atrasos e constrangimentos, pode dizer-se que foi um ano bem sucedido.

Acompanha-me agora numa revisão de alguns dos mais importantes momentos de 2020 para a marca da Maçã.

iPad Pro 2020

Corria o mês de março quando foi lançado o iPad Pro 2020. Em relação ao modelo de 2018 as alterações foram poucas, destaque para um novo processador, o A12Z Bionic e um novo módulo traseiro que passou a albergar duas câmaras e a novidade, o sensor LiDAR que promete grandes melhorias no capítulo do 3D e da Realidade Aumentada.

Acabou por alcançar bons resultados de vendas e foi importante na manobra da marca nos seguintes meses quando o mundo entrou em confinamento e o teletrabalho e a telescola foram o "novo normal".

A acompanhar este lançamento, a Apple introduziu um dos recursos mais pedidos para o iPadOS, suporte nativo a ratos e trackpads, que tornou possível o lançamento de uma nova capa teclado (Magic Keyboard) para o iPad, com trackpad embutido.

iPhone SE 2020

Já o mundo estava a braços com a malfadada pandemia, no mês de abril, quando foi lançado o iPhone SE 2020. Já há muito esperado pelos fãs do iPhone SE original (2016), veio dar um boost interessante às vendas dos iPhones naquele momento. O conjunto formado pelo então mais recente processador A13 Bionic e o corpo do iPhone 8, acabou por resultar e fez sucesso entre aqueles que queriam um smartphone pequeno e competente, apesar do design ultrapassado.

iOS/iPadOS 14, watchOS 7 e macOS Big Sur

Como habitual, junho trouxe a WWDC e com ela os novos OS dos dispositivos da Apple entre os quais de destacam o iOS/iPadOS, o watchOS e o macOS.

No que concerne ao iOS 14 as novidades foram algumas, mas de todas a que mais impacto teve nos utilizadores foi a nova fórmula dos Widgets. Não, os Widgets não são uma nova fórmula, mas a forma como agora podem ser usados no iOS, representa um passo importante para todos quantos queriam ter mais liberdade de personalização dos seus ecrãs.

Por sua vez, o iPadOS 14 ainda não aderiu aos widgets para personalizar o ecrã, e as principais novidades deste ficaram-se por melhorias significativas da interação do Apple Pencil com o iPad.

O watchOS 7 introduziu algumas novidades interessantes para aprimorar ainda mais o smartwatch líder de mercado. Destaco a possibilidade de partilha de mostradores, bem como, o recurso de tracking de sono nativo. A pandemia não passou ao lado do teu Apple Watch e com este watchOS até tens um temporizador automático para quando estás a lavar as mãos e um lembrete para não te esqueceres de as lavar quando chegas a casa.

Já o macOS Big Sur surge como uma das maiores alterações no sistema operativo dos computadores da Apple nos últimos anos. Ícones redesenhados, alterações no painel de controlo, melhorias no iMessage e muito mais, tornaram o macOS mais simpático do ponto de vista visual, pessoalmente gosto e recomendo.

Apple Watch Series 6 e Apple Watch SE

O Apple Watch Series 6 introduziu no smartwatch da Maçã novas cores (Azul e (PRODUCT) RED), mas não foi tudo, entre outras  novidades, este apresentou um novo sensor que permitiu adicionar ao Series 6 o medidor de oxigénio no sangue.

Já o Apple Watch SE, tornou-se no smartwatch mais apetecível de todo o alinhamento, perdendo o ECG, o Oxímetro e pouco mais, os potenciais utilizadores ficam com acesso a um dispositivo recente e com tudo o que realmente importa a um preço que se pode considerar mais acessível.

Novo iPad Air

Quase uma cópia do iPad Pro 2018, mas com processador A14 Bionic e novas cores, para o universo iPad, o azul e o verde. O novo iPad Air tornou-se no modelo mais equilibrado de todos os que estão nesta data à venda. Bonito, rápido e com ecrã quase de ponta a ponta, reintroduziu o Touch ID desta feita no botão de power, e foi uma das estrelas do evento de setembro.

Apple One e Fitness +

Os serviços continuam a ser aposta forte da gigante de Cupertino e o Apple One é prova disso, um agregado de serviços em pacote ajuda a reduzir aos custos aos subscritores. Podes escolher o pack que mais te agrada e com isso poupar alguns euros nas tuas subscrições mensais.

Já o Fitness + é um serviço que infelizmente não está para já disponível em Portugal, mas promete ser o teu personal trainer, isto claro a troco de mais uns dólares.

iPhone 12

O evento “Hi, Speed”, deu a conhecer ao mundo os novos iPhone 12, iPhone 12 mini, iPhone 12 Pro e iPhone 12 Pro Max. Quatro modelos e três tamanhos, o iPhone 12 mini com ecrã de 5.4 polegadas, o 12 e o 12 Pro com ecrã de 6.1 polegadas e por fim o iPhone 12 Pro Max, com diagonal de 6.7 polegadas.
Comum a todos o ecrã OLED Super Retina XDR, que veio conferir melhor qualidade aos modelos mais baratos.

Os modelos Pro viram incluído o sensor LiDAR no seu módulo das câmaras que pela primeira vez está diferente entre o Pro e o Pro Max, ou seja este último temos melhores especificações principalmente na câmara teleobjetiva e na estabilização da imagem.

O iPhone 12 mini acabou por ser uma das estrelas deste evento, pois devolveu a muitos a oportunidade de usar um equipamento topo de gama e moderno, facilmente manuseável com uma só mão, associado a um ecrã com dimensões mais satisfatórias que o iPhone SE 2020, por exemplo.

MagSafe

O ressuscitar do nome MagSafe, trouxe consigo a pesada notícia da extinção do carregador da caixa de todos os iPhones. Doravante todos os iPhones trazem na caixa apenas o cabo USB-C Lightning e caso queiras tens que comprar o adaptador de corrente à parte.

Aqui entra também o novo carregador MagSafe, que não é mais do que um carregador sem fios da Apple que usa ímans para se posicionar no local certo de carga.

Aproveitando estes ímans a marca da Maçã apresentou alguns novos acessórios como capas e porta cartões que se “colam” à traseira do iPhone. Foi assim aberta mais uma caixa de pandora para os fabricantes de acessórios compatíveis, e agora o céu é o limite.

HomePod mini

Parece que tudo o que é mini está condenado ao sucesso, em parte também se pode atribuir ao facto de que também são mini no preço, isto é, pelo menos comparativamente aos modelos maiores e mais caros.

O HomePod mini vem colocar à disposição de todos, por um valor "simpático", uma coluna com integração da SIRI e do restante ecossistema Apple. É um dispositivo importante na manobra da democratização do HomeKit, e apenas perde por não estar disponível em Portugal, pelo menos a nível oficial.

A qualidade é a que a Apple já nos habituou e com um valor a rondar os cem euros, esgotou em pouco tempo.

Novos MacBook Air, MacBook Pro e Mac mini

Na verdade o que estes computadores têm de novo que realmente importa é o processador Apple Silicon, o M1.

Ao nível do design não houve modificações dignas de registo, as verdadeira alterações surgem na "alma" destes computadores. O desempenho do processador M1 é de tal forma avassalador, que mesmo utilizadores com Macs Intel topo de gama, estão a pô-los de lado em favor dos novos com M1. Mesmo os modelos de entrada de gama com este novo processador com arquitetura ARM, estão a dizimar os antecessores, quanto mais a concorrência.

O futuro é promissor neste campo, e aguardamos ansiosamente mais Macs com processadores M1 ou outras variantes ainda mais potentes, que deverá acontecer já nos próximos meses.

AirPods Max

Já na reta final do ano, a Apple surpreendeu com o lançamento dos seus headphones, com design atual e qualidade de construção acima da média, foram mesmo assim alvo de chacota pelo formato da sua Smart Case.

As cores disponíveis são divertidas e as almofadas podem ser trocadas por outras cores à venda em separdo. Um simples íman faz com que estas sejam fáceis de trocar.

A qualidade de som, que é o que realmente importa, segundo os primeiros testes está ao nível dos melhores, o que pode para os utilizadores fazer a diferença é a sua perfeita integração no ecossistema Apple.

O preço em Portugal acende aos 629 euros, não é barato é verdade, mas em poucos dias as unidades disponíveis voaram e nesta data os prazos de entrega já apontam quase três meses de espera.

O meu TOP 3 de 2020

Por fim, o ano foi “longo”, assim como a lista dos principais lançamentos da Apple, porém ainda quero deixar-vos os meus favoritos.

1 - Macs com processador M1
2 - iPhone 12 mini
3 - Apple Watch SE

Diz-nos qual o teu TOP 3 de 2020?