O que é um antivírus falso, e como evitá-lo?

Já não chega contemplar a aquisição de um antivírus, e agora ainda temos que nos preocupar com os que são falsos?
5 mins de leitura
Fonte: AdvancedPC.com
Publicidade
Publicidade

O que é um antivírus falso?

A Internet como a conhecemos hoje nada tem que ver com os primórdios da sua implementação na sociedade de consumo. De uma novidade extraordinária, tornou-se num fornecimento banalizado, tal como a água, a eletricidade e o gás.

É verdade que a ausência desta tríade coloca a nossa sobrevivência em risco. Mas no mundo em que vivemos, não é menos verdade que, sem a Internet, até parece que não conseguimos sobreviver.

Atentemos o caso da Ucrânia: cidades inteiras privadas da dita tríade. Porém, as pessoas aquecem-se e confecionam o pouco que têm para comer com fogo, e têm que aguardar em enormes filas pela distribuição (muito racionada) de água. Mas, ainda assim, conseguem carregar os seus telemóveis em locais centralizados com baterias.

Fonte: ABC News

É que estar conectado não se trata apenas de frequentar redes sociais. Dizer aos nossos entes queridos que estamos bem, ou saber em que ponto se encontram os avanços de um exército invasor, pode efetivamente fazer a diferença entre a vida e a morte.

Porque falo eu nisto? Justamente para demonstrar que esta banalização da Internet, vertida sobre os nossos dispositivos 24 horas por dia, tem tanto de bom como de mau. Malogradamente, a expressão fake tornou-se familiar nas nossas lides diárias, de tal ordem, que até os telejornais têm segmentos de clarificação sobre a quantidade de lixo que nos conspurca as ideias e nos tolda a mente.

O caso dos antivírus

Fake aplica-se também aos antivírus, concretizando-se quer enquanto tática de fraude, quer enquanto software que apregoa, mas nada faz. Como todas as coisas fake, a estratégia subjacente consiste em impactar o alvo com mensagens assustadoras, configurando um cenário de absoluta urgência na ação, sob pena de pesadas consequências.

Fonte: iFix Omaha

Em regra, estes “oportunos” avisos ameaçadores surgem como pop-ups, que remetem para um banner de instalação da salvação suprema dos nossos dados contra perniciosos hackers, que aparentemente estão prestes a invadir os nossos dispositivos. E pronto, clicando nesse banner, ou permitimos a instalação de um malware, ou somos burlados com a aquisição de um placebo.

Portanto, ou a conta bancária fica com menos uma fatia, fruto da compra desse software, ou eventualmente vazia, por via do roubo efetivo das nossas credenciais bancárias, graças a termos escancarado as portas àqueles que, através de um aviso falso, nos asseguraram que estas ficariam protegidas.

Mas vamos resumir, para que tudo fique bem claro, no caso de instalares um antivírus falso:

Fonte: Integris

O que acontece quando o instalas?

  • Roubo dos teus dados;
  • Bloqueio dos teus dados, sob falsa mensagem de presença de vírus e respetiva urgência em “limpa-lo” do teu dispositivo;
  • Armazenamento dos teus dados, para potenciais casos de chantagem (ransomware);
  • Desativação do teu antivírus verdadeiro, caso o tenhas.

De que modos podes ser prejudicado?

  • Não acontece nada, mas pagaste por um software que não funciona;
  • Desativação de todos os parâmetros de segurança do teu dispositivo, abrindo caminho para qualquer que seja o propósito do invasor;
  • Infeção do teu dispostivo com um vírus ou outro tipo de malware;
  • Ativação de ransomware: encriptação dos teus dados, apenas desbloqueados mediante um pedido hostil de pagamento;
  • Aplicação de uma estratégia de phishing com vista à tomada de posse das tuas credenciais bancárias.

Então, como reconhecer um antivírus falso?

Como te disse acima, desconfia de pop-ups ou de banners que apregoam aos sete céus que o teu dispositivo está infetado com um vírus.

Fonte: MacSecurity.net

Pensa nisto: a única forma que tens de ser avisado relativamente a um vírus no teu computador, é se tiveres um software verdadeiro de antivírus instalado. Um website aleatório que estejas a visitar não tem, de todo, permissões para varrer os conteúdos do teu computador em busca de um vírus.

É como quando entras numa loja de um centro comercial: as lojistas não sabem o que tens dentro da carteira, ou sequer como te chamas. Só se partilhares esses dados com elas. O mesmo é dizer, só se instalares um antivírus é que estás a permitir o varrimento dos teus conteúdos.

Ainda na linha dos alarmismos clássicos: permitam-me aqui aludir a certos canais de televisão que ostentam aqueles banners enormes, cravando a ferros quentes a palavra “ALERTA!” nos nossos olhos. Só que não. Uma cheia numa aldeia com 40 habitantes não é sinal de que Noé está a caminho com a sua Arca porque o dilúvio está próximo. Não vás nisso.

Por outro lado, o que é barato sai sempre caro. Desconfia também de propostas extraordinárias a preços irrisórios. Assim que lhes deres os teus dados do cartão... já sabes onde vou chegar.

Como evitar a instalação de um antivírus falso?

Se conseguires, não caias na esparrela. Há casos absolutamente evidentes. Mas outros existem que são extremamente convincentes. Permite-me reforçar: um website da Internet não te pode fazer scans ao computador em busca de vírus.

Mas acontece aos melhores. Se tiveres o infortúnio de instalar um antivírus falso, instala um que seja verdadeiro. Por exemplo, se fores um utilizador do Surfshark VPN, adiciona o Surfshark Antivírus no pacote Surfshark One.

Fonte: Surfshark

Se não fores utilizador deste software, que junta ao seu serviço de VPN, outro de antivírus, considera a sua aquisição, ou procura outras empresas também reputadas no mercado neste âmbito.

Não te esqueças de manter o teu software sempre em dia. É também para isso que servem essas atualizações: as melhorias em termos de segurança são constantes a cada nova versão do sistema operativo e/ou browser que o teu fornecedor coloca à disposição.

Resumindo...

Se já está, já está! Se tudo falhar, podes sempre formatar o teu dispositivo. Este sim, é um cenário muito mais assustador do que os pop-ups e os banners. Este é o verdadeiro dilúvio, do qual, com alguma sorte, se fizeres backups dos teus dados, ainda pode ser que a Arca em que os guardas te permita sobreviver a uma limpeza geral.

Mas antes disso, tenta:

  • Descarregar uma app antivírus verdadeira de uma empresa reconhecida;
  • Reinicia o teu dispositivo em modo seguro;
  • Instala o novo software antivírus;
  • Apaga a app falsa;
  • Executa um scan;
  • Se nada disto resultar, tenta consultar um profissional;
  • Se pagaste pela app falsa, contacta o teu banco (ou a instituição financeira a que recorreste para fazer o pagamento), relatando a ocorrência.

Quem diria?

É um facto. Mesmo para utilizadores de Mac, o risco de contrair um vírus a partir de múltiplas formas obscuras e sub-reptícias, constitui um risco real e concreto. Já me debrucei sobre este assunto aqui no iFeed. Não subestimes este conceito, associando-o a um Cavalo de Tróia dos anos 1990. Este clandestino pernicioso pode causar-te sérios danos, tudo começando com uma mensagem falsa e alarmista, bradando justamente pela tua proteção.

Publicidade
Publicidade
Partilhar artigo