A discussão entre Touch ID e Face ID não é nova. Na altura do lançamento do iPhone X, o Face ID gerou alguma conversa sobre se a Apple abandonaria de todo o Touch ID em detrimento da autenticação por rosto e, claro, houve sempre argumentos e defensores de um lado e de outro da discussão.

A Apple continou a lançar alguns dispositivos com Touch ID sem atualização de design, isto é, com o tradicional leitor redondo, no qual se inclui o iPhone SE mais recente. Este sensor não só era grande como inviabilizava um design de ecrã ponta a ponta, fazendo os dispositivos terem um ar desatualizado face às alternativas do mercado. Agora, a empresa de Cupertino apresentou-nos no novo iPad Air um renovado sensor de impressão digital, desenhado para estar embutido no botão de bloqueio no topo do ecrã. E, mais do que nunca, adoraria que esse sensor chegasse nas próximas gerações de iPhone.

Não me interpretem mal. O meu primeiro (e atual) iPhone vem com Face ID mas sempre senti falta de alternativas de autenticação. Os tempos de pandemia vieram tornar mais real esta necessidade porque o uso de máscara limita o uso do Face ID. Não obstante, é possível configurar um rosto com máscara no iPhone, que podes consultar aqui como o fazer. Mas para quem não o fez, torna-se inquietante estar sempre a colocar o pin de desbloqueio.

Ao olharmos para a concorrência com sistema operativo Android, muitas são as soluções de mercado que incluem ambos os métodos de autenticação e algumas empresas arrojaram no sentido de colocar o sensor de impressão digital embutido no ecrã. Muitos foram os desafios e algumas empresas como a Samsung ou a OnePlus tiveram sucesso na sua implementação, conseguindo uma autenticação via impressão digital embutida no ecrã que era simultaneamente rápida e eficaz.

Outro dos pontos a ter em conta é que, com o Face ID, o desbloqueio do teu iPhone requer a tua atenção. Em suma, a Apple apostou forte no Face ID e toda uma legião de fãs do Touch ID (onde me incluo) continuou a sonhar com o dia do seu regresso. Houve inclusive alguns rumores espaçados no tempo de que a Apple estaria a trabalhar num sensor embutido no ecrã ou incluir o Touch ID nas traseiras do iPhone, de forma a que este tivesse um design frontal de ecrã ponta a ponta.

O novo sensor de Touch ID da quarta geração do iPad Air vem trazer uma nova esperança de que este sensor possa vir a ser incluido em futuros modelos de iPad e iPhone. Ao olharmos para este dispositivo, vemos que conseguiu reduzir as margens mantendo uma aparência estética bastante agradável, assim como continuar com uma alternativa segura de autenticação. A cereja no topo do bolo seria que os futuros iPhones também trouxessem esta tecnologia, permitindo ao consumidor escolher qual o método de autenticação que prefere.

Renovado sensor de Touch ID, presente no iPad Air.

Ora, apesar de ser algo que gostasse, não acredito que a Apple disponibilize Face ID e Touch ID num só equipamento, pelo menos para já. Juntar estas duas tecnologias levaria potencialmente a um aumento do preço de fabrico e de venda, o que poderia conduzir a menos vendas. No entanto, acredito que este novo sensor de Touch ID venha trilhar um novo caminho para os dispositivos de entrada, como o iPhone SE ou o iPad.

Ainda que o renovado sensor de Touch ID não chegue ao iPhone 12, devemos ver outras características do iPad como o novo processador A14 Bionic, que demonstrou ter uma performance fantástica e trazer o "latest and greatest" (mais recente e melhor) que a Apple consegue fazer. Para além disso, é esperado um re-design acompanhando o estilo do novo iPad Air e iPad Pro, assim como dos antigos iPhone 4 e 5, com linhas mais retas e industriais.

Quanto a ti, és fã incondicionável do Face ID ou gostavas de ver o Touch ID regressar aos iPhones? Partilha connosco a tua opinião na secção de comentários.