Ainda não passaram muitos dias desde o evento “Time Flies”, onde foram apresentadas as novas gerações do iPad e o tão aguardado redesign do iPad Air. Ao contrário do que muitos esperavam (eu inclusive), não foi anunciado o novo iPhone 12, mas a keynote permitiu levantar a ponta do véu sobre o que aí vem. Como? Através da apresentação do A14 Bionic, incluido no renovado iPad Air.

Se estiveste atento à apresentação, deves ter notado que a Apple dedicou algum tempo para apresentar o mais novo membro da família Apple Silicon. O chip A14 Bionic será dedicado ao ramo dos dispositivos mobile, como o iPad. Este é o primeiro processador da indústria construído com um processo de produção de 5 nanómetros. Graças a este processo, o chip vem equipado com 11.8 biliões de transistores.

Em que é que isto se traduz? Se compararmos ao chip A12 presente na geração anterior do iPad Air, o novo A14 Bionic de 6 núcleos tem um ganho de 40% de performance de CPU. A arquitetura gráfica de 4 núcleos permite também gráficos 30% mais rápidos.

Outro dos pontos importantes apresentados no evento é a presença de um Neural Engine com 16 núcleos capaz de operar 11 triliões de operações por segundo. O Neural Engine tem como principal função auxiliar nos processos de aprendizagem automática como reconhecimento de imagens, análise de movimento ou aprendizagem de linguagem natural. De acordo com a Apple, ao combinar o Neural Engine com aceleradores de aprendizagem automática baseados em CPU, é possível executar tarefas de aprendizagem automática até 10 vezes mais rápido.

Todas estas características virão trazer ganhos de performance com o novo iPad Air. A manter este chip nos novos iPhones, veremos também um ganho de performance, ainda que menor quando comparando ao iPad. Isto porque as percentagens apresentadas pela Apple correspondem à comparação direta do iPad Air 4 (com A14 Bionic) com o seu antecessor iPad Air 3 (equipado com o chip A12). Por contraposição, o iPhone 11 e 11 Pro vêm equipados com o processador A13 Bionic, já mais poderoso que o anterior A12. Ainda assim, é importante para a próxima geração de iPhones receber esta atualização, mantendo-se a par e passo com o melhor que a Apple tem para oferecer.

Relativamente ao evento, não foi feita menção sobre a eficiência de energia associada ao A14, pelo que teremos que esperar para testar.

Apesar de ter sido apresentado com o iPad Air, o chip A14 Bionic é esperado nos novos iPhone 12 e iPhone 12 Pro, cujo lançamento deverá ocorrer este outono. Ansioso para testar o poder deste processador?