8 inovações tecnológicas utilizadas no Mundial Qatar 2022

Num mundo em que a inovação tecnológica é apenas uma circunstância comum do dia a dia, este campeonato do mundo impressiona com a sua utilização. Lê aqui sobre algumas das interessantíssimas inovações que estão em plena operação no Qatar 2022.
8 mins de leitura
Fonte: FIFA
Publicidade
Publicidade

A inovação tecnológica é considerada hoje como uma circunstância comum na vida quotidiana. Há muito poucas décadas, este conceito era tido como futurista, e apenas ao alcance da nossa imaginação, particularmente em filmes de ficção científica.

O certo é que, hoje em dia, quase que se trata apenas de esperar. Sabemos que chegaremos a determinados marcos tecnológicos. Portanto, já não é tanto uma questão de surpresa, mas antes, aguardar pelo "quando".

A cada passo, a inovação, como que um vírus, espalha-se por todo o lado. E não nos desagrada, porque em grande medida constitui um elemento facilitador do dia a dia. Então quando se aplica ao entretenimento, tudo é ainda mais empolado.

É o caso do Mundial 2022. O Qatar gastou mais de 300 milhões de dólares em todo este empreendimento, refigurando a cidade de Doha e seus arredores por completo, tendo-se tornado por isso o maior investimento de sempre na organização de um campeonato do mundo de futebol.

Fonte: Bloomberg
Parte do projeto para Doha.

Claro que, neste avassalador orçamento, a inovação tecnológica teve necessariamente um destaque fundamental. Aplicada ao jogo em si, mas também ao apoio a pessoas com deficiência e à segurança, em tudo se sente e se experiencia diferente (e melhor), graças às novas máquinas, inteligência artificial e algoritmos.

Vamos então ver oito exemplos de como esta "sinfonia tecnológica" afetou este Mundial 2022.

A bola de futebol

Evidentemente que teria que começar pela bola. Designada Al Rihla (“a viagem” em arábico), esta bola está equipada com um sensor de movimento (Unidade de Medição Inercial - IMU) que permite a criação de combinações multi-eixos de giroscópios de precisão, acelerómetros e sensores de pressão.

Para que este sensor possa operar sem falhas e sem qualquer tipo de influência no desempenho da própria bola, a Adidas concebeu um sistema de suspensão proprietário para o acondicionar no seu núcleo.

Fonte: Adidas
Fonte: Adidas

Graças a esta inovação, testada pela primeira vez em jogos oficiais do campeonato do mundo, este sensor alimentado por uma bateria recarregável (que pode ser carregada por indução) de 500Hz (ou seja, recolhe dados 500 vezes por segundo), gera dados precisos, que são carregados no sistema do vídeo-árbitro em tempo real.

Fonte: Adidas
Fonte: Adidas

Os toques na bola dados pelos jogadores, combinados com os dados da sua posição em campo, são processados com o recurso à inteligência artificial, permitindo um substancial incremento da tecnologia semi-automatizada de fora de jogo da FIFA, de que falarei adiante.

Os mais recentes exemplos resolvidos por via deste sistema, foram o esclarecimento da dúvida acerca da atribuição do golo de Portugal a Bruno Fernandes ou a Ronaldo no jogo contra o Uruguai, bem como, se o golo do Japão que eliminou a Alemanha na fase de grupos, foi válido ou não.

Connected Ball Tecnology

Mas o sensor na bola de nada vale sem um sistema de captação dos dados que recolhe. È aqui que entra a Kinexon com o seu Ball-Tracking. Para conseguir uma captação precisa, automática, e em tempo real para a equipa de video-arbitragem, são necessários cinco elementos: antena, sensor, transmissão, processador e dados finais.

Com a instalação de uma rede de entre 12 a 24 antenas no campo, torna-se possível captar a informação do sensor de 14 gramas instalado na bola. A triangulação dos movimentos, é transmitida, como te disse, a uma taxa de 500 vezes por segundo, garantido por isso uma precisão ao centímetro.

Num espaço de 20 milissegundos, o processador calcula métricas como a velocidade, extensão dos passes, e.o., tal como reconhece as suas tipologias, isto é, se foi um remate, um passe ou um toque. Tudo isto é transformado em dados finais e inteligíveis para a equipa de video-arbitragem, por via da Kinexon Sports App, ou através de interfaces criados por terceiros, devidamente credenciados.

Tecnologia semi-automatizada de fora de jogo

Falei-te desta tecnologia da FIFA acima. Assenta na utilização de 12 câmaras  montadas debaixo do telhado dos estádios, dedicadas exclusivamente a seguir a bola e até 29 elementos de dados de cada um dos jogares em campo.

Fonte: FIFA
Pontos considerados na captação de informação.

Operando a uma taxa de 50 vezes por segundo, a posição exata dos jogadores é calculada considerando, entre esses 29 elementos, partes e extremidades do corpo que são imprescindíveis para estabelecer a diferença entre ocorrer, ou não, um fora de jogo.

Todos estes elementos tornam-se inteligíveis para a equipa de video-arbitragem, não apenas através das imagens, mas principalmente por via da criação de uma renderização 3D, extremamente esclarecedora para uma tomada de decisão pelo árbitro.

Fonte: Negocios
Fonte: Negocios

Aplicação FIFA Player

Esta aplicação oferece a cada jogador uma estatística detalhada sobre a sua performance em campo. Estes dados obedecem a três categorias: métrica de dados futebolísticos, métrica de desempenho físico e métrica de inteligência de futebol.

Fonte: FIFA
Fonte: FIFA

Estes dados só são, evidentemente, possíveis de produzir (e ser fiáveis), por via de especialistas nestas questões, contratados pela FIFA. O produto final inclui também fotografias dos momentos-chave de cada jogador, tornando-se numa relevante ferramenta para a correção de erros individuais, bem como um precioso manancial de dados para a gestão do plantel pelas equipas técnicas e pelo treinador.

Fonte: FIFA
Fonte: FIFA

Bonocle e Feelix Palm para pessoas com deficiência visual

O Bonocle consiste numa ferramenta para pessoas com deficiência visual, que atua como um controlador para o smartphone. Ergonomicamente concebido para funcionar como um ecrã em braille de linha infinita, recorre ao hardware do dispositivo para permitir a utilização das apps através de feeback tátil e auditivo.

Tal inovação garante não apenas a possibilidade de experienciar os jogos de um modo mais imersivo, como também se traduzem numa preciosa ajuda no que concerne a deslocações por Doha, entre muitas outras funcionalidades.

Fonte: Bonocle
Fonte: Bonocle

O Feelix Palm trata-se de um comunicador com recursos táteis. Usando impulsos elétricos na palma da mão, envia mensagens em braile sem restringir movimentos físicos ou audição do seu utilizador.

Fonte: Feelix Palm
Fonte: Feelix Palm

Tecnologia avançada de arrefecimento do estádio

O Qatar é um país conhecido pelo seu clima de desértico: longos verões de Maio a Setembro, caracterizados por um calor seco intenso e com temperaturas acima dos 45.°C. As temperaturas de Inverno são amenas, mas podem descer abaixo dos 5.°C.

A precipitação só é sentida durante o Inverno, com as regiões do norte do país a receberem 30% mais precipitação do que as do sul. Para além disso, este país é afetado pelos ventos Shamal, que provocam tempestades de areia e poeira durante todo o ano.

Deste modo, para que jogadores e adeptos estejam confortáveis, sete dos oitos estádios do Mundial 2022 estão equipados com uma tecnologia de arrefecimento, capaz de gerar uma média de cerca de 20.ºC, temperatura considerada ideal para o bem-estar generalizado de todos os participantes.

Fonte: The Peninsula
Fonte: The Peninsula

Este sistema, considerado 40% mais sustentável e eficiente no que respeita ao consumo de energia (quando comparado com tecnologias até agora utilizadas), baseia-se numa combinação de isolamento e de arrefecimento direcionado, de modo a incidir apenas nos locais onde os participantes se encontram.

Câmaras com reconhecimento facial

Num evento em que se previu a visita de mais de um milhão de pessoas, a segurança constituiu um elemento fulcral, para que tudo corresse bem.

Fonte: The Telegraph
Fonte: The Telegraph

Deste modo, existem cerca de 15.000 câmaras com reconhecimento facial distribuídas pelos estádios, infraestruturas turísticas, ruas, redes de transporte, etc.

Estádio totalmente desmontável


A inovação estende-se igualmente à estratégia de organização deste gigantesco evento. Se existem estádios pensados para permanecer, outros, nem tanto. É o caso do Estádio  974.

O seu nome de batismo foi inspirado no indicativo telefónico deste país, e coincide precisamente com o número de contentores que foram usados para o construir. Sim, leste bem: contentores.

Fonte: Engenharia 360
Fonte: Engenharia 360

Segundo a organização, este estádio constititui "uma grande vitória para a inovação e a sustentabilidade". Vou continuar a utilizar as palavras da organização para o descrever:

Construído inteiramente a partir de contentores marítimos e aço modular, é o primeiro estádio de futebol coberto totalmente desmontável - mostrando o empenho do Qatar na sustentabilidade e no arrojado design.
Depois do torneio, os contentores e a super-estrutura serão reutilizados no desenvolvimento de instalações fabulosas para a comunidade local, bem como um núcleo dinâmico para negócios. Este conceito inovador no desenvolvimento deste recinto garante que, embora a presença física do Estádio 974 possa ser temporária, o seu legado será eterno.

Inovações "familiares"

Tudo o que aqui te descrevi não te constitui, vá, uma enorme surpresa. Sensores de movimento como giroscópios, acelerómetros, reconhecimento facial, etc., são banais nos nossos dispositivos Apple. A empresa da maçã assim nos habituou. Sistemas de refrigeração, consitutem um conceito ainda mais vulgarizado. Construção de edifícios com contentores, é o que mais não falta por aí...

Mas a verdadeira inovação reside na forma como estas tecnologias são aplicadas, bem como na própria envergadura titânica dessa aplicação. Refrigerar um estádio de futebol inteiro? Uma bola capaz de medir distâncias ao centímetro, e retornar em milissegundos um conjunto de dados absolutamente determinantes para garantir decisões justas e acertadas? 15000 câmaras com reconhecimento facial a operar em simultâneo (Big Brother is watching you!)?

É isso. Uma sinfonia composta por múltiplas inovações, lindíssimas de se ver, e melhores ainda de se experimentar. No fim de tudo isto, subsistirá a pergunta: o que nos esperará nos próximos campeonatos de futebol organizados pela FIFA?

Bom, espero mesmo é que a pergunta seja: o que nos esperará no próximo campeonato do mundo organizado pela FIFA, no qual Portugal terá que defender o seu título de Campeão Mundial 🇵🇹?

Publicidade
Publicidade
Partilhar artigo