Nota: Este artigo contém spoilers!

Drama e dúvida: esta é a melhor forma de descrever a série "Em Defesa de Jacob". A produção estreou a 24 de abril na Apple TV+ e conta com oito episódios, de aproximadamente uma hora cada.

Se há questão que prevalece do início ao fim da série é se ele é ou não culpado. Mas já lá vamos. "Em Defesa de Jacob" conta a história da família Barber: um casal jovem com um filho adolescente que vive numa pequena cidade dos Estados Unidos da América. Andy Barber, o pai, interpretado pelo Capitão América Chris Evans, é advogado e trabalha para a procuradoria geral. Um dia, recebe uma chamada para um caso de homicídio de um rapaz que, por coincidência, era colega de escola do filho Jacob. A reviravolta surge quando Jacob se transforma no principal suspeito do crime e, neste momento, a vida desta família dá uma volta de 180 graus.

O primeiro episódio apresenta a trama na perfeição e deixa o espectador colado ao ecrã. É impossível não continuar a ver. Até porque a história é contada numa espécie de retrospectiva, pelo próprio pai, numa espécie de audição pública com o advogado de acusação.

Mas a verdade é que o ritmo abranda rapidamente e mal entramos no segundo capítulo, percebemos que o suspense não é o forte desta produção, mas sim o drama e o mistério. A partir do momento em que Jacob é tornado suspeito e até ao dia do julgamento o espectador vive a angústia da da família enquanto é colocada de parte pela comunidade ao mesmo tempo que procura provas para inocentar Jacob. E se por um lado os pais procuram a todo o custo provar a inocência do filho, por outro, surgem, essencialmente na mãe, dúvidas se Jacob está ou não a contar a verdade e, estas desconfianças vão-se tornando cada vez mais fortes ao longo do desenrolar da história.

É na mãe Laurie (Michelle Dockery), que se encontra a maior carga emocional. O sofrimento desta família é demonstrado através desta que passa por todos os estágios da dor: negação, medo, conflito interno, dúvida e culpa. Não é para menos: parece haver mais indícios de este ser culpado do que inocente. Jacob tinha uma má relação com o miúdo assassinado; o crime foi cometido com uma faca e Jacob tinha uma faca; Jacob esteve no local do crime e foram encontradas impressões digitais deste na vítima e, a cereja do topo do bolo: Jacob escreveu e publicou uma história a relatar o momento do homicídio do rapaz.

Apesar de tudo isto, é interessante ver como é que o pai, habituado a usar a razão no seu dia-a-dia, parece ignorar todos os dados que incriminam o filho e continua incansável na procura de outro suspeito. Nem a mulher nem nós, espectadores conseguimos saber ao certo se Andy acredita ou não no filho. E o mesmo acontece com Jacob: o rapaz parece impenetrável e por mais que tentemos, não conseguimos saber exatamente o que se passa dentro da cabeça dele. Assim, o que fica bem claro, é o trabalho extraordinário dos atores que conseguiram na perfeição passar para fora todas as emoções que os personagens estavam a sentir.

Essa carga emocional e o distanciamento que cresce a cada episódio são demonstrados na perfeição pela realização e pelo fantástico trabalho de fotografia. A distância cada vez maior entre os três personagens é evidenciada através da escolha de cores mais frias e dos enquadramentos mais amplos, ou abertos e que transparecem bem a solidão que cada um está a sentir. Arrisco até dizer que o ritmo mais lento que a série adopta acaba por enfatizar ainda mais a dor, a angústia e a solidão que assola aquela família. E se por um lado vão surgindo novos dados e provas, aumentando momentaneamente a adrenalina do espectador, por outro, rapidamente voltamos à mesma melancolia e à dúvida inicial: será Jacob ou não culpado?

"Em Defesa de Jacob" é baseado num livro de William Landay mas a produção optou por um final diferente. A história tem uma reviravolta, no mínimo inesperada, mas que provavelmente saberá a pouco para a maioria dos espectadores, até porque, tudo indica que não haverá continuação.

Já viste esta série? O que achaste do papel dos atores e do final da trama? Conta-nos tudo nos comentários!