Apple Watch salvou idosa e ainda ajudou a diagnosticar um cancro

Mais uma história em que o Apple Watch assume um papel importante na vida dos seus utilizadores.
Escrito por Rodolfo Januário e
1 min de leitura
Apple Watch salvou idosa e ainda ajudou a diagnosticar um cancro
Publicidade
Publicidade

Conto-vos agora a história de Raylene Hackenwerth, uma idosa de 71 anos natural de São Petersburgo, no estado americano da Flórida, que viu a sua vida salva graças ao recurso de deteção de quedas do Apple Watch.

Isto terá acontecido no passado dia 3 de março, em que a idosa se encontrava em casa e inesperadamente terá desmaiado e ficado meio inconsciente. O seu Apple Watch reagiu a esta queda detetada chamando os serviços de emergência ao local.

Um dos paramédicos que a socorreu assinala a utilidade do recurso:

"Ele (o Apple Watch) envia a geolocalização, a latitude e a longitude, então eu diria que é um recurso bastante útil", disse o socorrista.

A história não fica por aqui...

Raylene foi depois levada para o hospital para ser observada, e aí foi-lhe diagnosticada uma massa nos pulmões que desconhecia ter. Sabe agora que é um cancro e agora aguarda tratamento.

A mesma confidencia:

"Se não fosse pela queda e pelo Apple Watch ter ligado para o número de emergência, eu nem saberia que tinha cancro e talvez no momento em que fosse encontrado no futuro, seria tarde demais", disse Hackenwerth.

O Apple Watch foi-lhe oferecido no Natal pelo seu filho, Jason Hackenwerth, para que ela pudesse acompanhar os seus treinos. Nenhum elemento da família fazia ideia que o smartwatch oferecido tinha o recurso de deteção de quedas, e que ele vem ativo de fábrica caso o utilizador tenha 55 anos ou mais.

Publicidade
Publicidade
Partilhar artigo