As questões éticas que vão reger o futuro da tecnologia

As questões éticas que vão reger o futuro da tecnologia

Eduardo Silva
∙ 2 minutos de leitura

A tecnologia avança com a sociedade a um ritmo alucinante, com as empresas a apostarem todas as fixas no desenvolvimento, numa constante batalha comercial. O consumidor é a meta de cada produto e de cada serviço, devendo por isso também haver uma consciência por parte dos lideres de cada empresa para as questões sociais que surgem com o desenvolvimento tecnológico e o envolvimento da população.

Assim o considera Rebecca Parsons, CTO da Thoughtworks, que marcou presença esta quarta-feira na Web Summit 2021 para discutir a responsabilidade das empresas pelos serviços e produtos fornecidos e como estes devem respeitar princípios éticos sobre a informação que gerem e os problemas que se geram e podem ser criados.

Segundo Parsons, as empresas devem fomentar um desenvolvimento imparcial dos seus serviços. A CTO considera que cada problema resolvido por um serviço deve ter em consideração outros problemas que possam surgir, sendo um principal exemplo disso a recolha de dados dos usuários.

Apesar de deverem manter-se conscientes sobre a big picture, a as empresas devem também ter em atenção as questões éticas que circundam o desenvolvimento tecnológico. Sendo a inteligência artificial um dos temas quentes em 2021, algumas questões podem ser levantadas. Parsons utilizou como exemplo a condução autónoma, com problemas de decisão para estes sistemas em momentos críticos onde a segurança dos passageiros de um automóvel ou dos peões num passeio podem estar em risco em simultâneo, confrontando-se o sistema de condução autónoma com a escolha entra a segurança de uns ou de outros.

Voltando ao tema da recolha de dados pessoais dos utilizadores, Rebecca Parsons focou também que os princípios éticos devem também reger as empresas na gestão das informações recolhidas sobre os utilizadores. Não só não devem as empresas manipular a informação recolhida e fazer uma gestão consciente, como devem manter em segurança todos os dados dos usuários. A manipulação de informação é um problema em 2021 no seio da Internet das Coisas e, para Parsons, é da responsabilidade dos líderes e gestores das empresas trabalharem junto dos seus colaboradores para promover um crescimento tecnológico responsável.

Pensando num futuro não tão distante como pensamos, Rebecca Parsons não deixou de abordar questões éticas para o futuro. As máquinas inteligentes que se substituirão ao ser humano nas próximas décadas poderão melhorar a qualidade de vida da sociedade em geral, mas os direitos destas máquinas cada vez mais conscientes (ainda que baseadas na inteligência artificial), poderá tornar-se uma problemática com a qual não só as empresas poderão ter de lidar em breve, mas também as entidades governamentais que emitem e regem as diretivas para essas mesmas empresas.

Rebecca Parsons aproveitou a presença no palco SaaS Monster para promover o livro The Responsible Tech Playbook, um trabalho da Thoughtworks para ajudar empresas a lidar com todas as questões éticas associadas com o desenvolvimento tecnológico, bem como ferramentas para mitigar todos os riscos associados.

Devemos um agradecimento muito especial à NordVPN e à GeekStore pelo patrocínio da nossa cobertura na Web Summit!

A tua subscrição no iFeed foi efetuada com sucesso.
Bem-vindo de volta! Iniciaste sessão com sucesso.
Perfeito! O teu registo foi concluído com sucesso.
O teu link expirou
Parabéns! Verifica o teu e-mail e utiliza o link para iniciar sessão.