E agora? Mac Studio ou Mac Pro?
Pedro Alves

E agora? Mac Studio ou Mac Pro?

A WWDC 2023 é um evento cuja génese diz respeito ao software. Contudo, a edição que decorreu recentemente brindou-nos com muito hardware novo, sendo alguns produtos mais inovadores que outros. Duas das "novidades" desta conferência foram os renovados Mac Studio e Mac Pro, ambos propulsionados pelo novo chip M2 Ultra. Ora, contando com hardware semelhante, qual deles é uma escolha mais acertada?

Em teoria, e se olharmos apenas para os números, ambas as máquinas são capazes de ser configuradas com um M2 Ultra com 24 núcleos de CPU, 76 núcleos de GPU e 32 núcleos de Neural Engine, 192 GB de memória unificada e 8 TB de armazenamento SSD. A questão é o preço: um Mac Studio com esta configuração custará 10400€, enquanto um Mac Pro ascende aos 14000€... Em ambos existem opções mais conservadoras, e no caso do Studio o utilizador pode até configurá-lo com um modesto M2 Max, o que torna a etiqueta de preço mais simpática, claro está à custa do desempenho. Como nota de rodapé, o Mac Studio mais básico custa 2449€.

Mac Studio

Mas vamos olhar apenas para os computadores com M2 Ultra, para tornar a comparação mais justa. Importa desde já alertar que os interessados têm de ter cuidado na escolha dos componentes, pois o Mac Pro com Apple Silicon abdicou de praticamente toda a expansibilidade a que estavamos habituados. Dessa forma, o trinómio processador, memória e armazenamento vai manter-se inalterado desde o dia de fabrico até ao dia de reciclagem da máquina. O mesmo acontece com o Mac Studio, claro está, porém nesta máquina isso já não é novidade.

A base destes computadores é então um M2 Ultra com especificações semelhantes às acima mencionadas, sendo a única diferneça o número de núcleos de GPU, que é de 60 em vez de 76; a memória unificada começa nos 64 GB e o armazenamento em 1 TB de SSD. Com esta ficha técnica temos o Studio a começar nos 4899€ e o Pro nos 8499€... Ou seja: o mesmo desempenho teórico, um PVP totalmente diferente. Para justificar os euros a mais, o Mac Pro conta com:

  • Slots de expansão PCI;
  • Mais portas;
  • Melhor ventilação;
Side view of Apple Mac Pro 2019 with Big Apple Logo
Mac Pro

Se isto é suficiente para tornar plausíveis os 3600€ de diferença, já cabe ao utilizador final decidir... Uma melhor ventilação garante performance de topo durante mais tempo, tornando trabalhos longos e pesados mais rápidos de executar. As portas adicionais podem ser uma mais valia em determinados cenários, dependendo das necessidades específicas de cada trabalho. Já os slots de expansão PCI, apesar de não oferecerem a mesma versatilidade que no Mac Pro com Intel, abrem as portas a hardware específico, útil principalmente para quem trabalha com som e imagem. Esse nicho de utilizadores pode ver esta capacidade de upgrade como algo verdadeiramente diferenciador, capaz de fazer valer o valor extra pedido pelo Pro. Além disso, estes slots podem albergar simplesmente unidades SSD, colmatando a necessidade de espaço característica de alguns cenários profissionais.

Conhecidas as diferenças entre as máquinas (não foi mencionado o tamanho porque esse é óbvio), cabe ao potencial cliente perceber se, no seu caso específico, vale a pena abrir a carteira para ter aqueles três pontos a mais, ou não... Em abono da verdade, acreditamos que as vendas do Mac Pro vão ser facilmente contabilizadas, dado o seu número reduzido. Porém, continua a fazer sentido manter esta máquina na família da maçã, mais não seja para satisfazer os estúdios musicais e de cinema, para os quais cada segundo conta. Já o utilizador doméstico, por maior que seja a sua sede por performance, vai ficar plenamente satisfeito com o Mac Studio, mesmo que seja na sua versão base...

Pedro Alves profile image Pedro Alves
Publicado a
Comparação