Não passaram muitas horas entre o lançamento de uma nova versão do Fortnite pela Epic Games e a remoção do mesmo da App Store. Em causa está uma nova opção de pagamento direto que contorna as regras da Apple para compras dentro da aplicação, que levaram a empresa de Cupertino a remover o jogo da sua loja de aplicações.

Na atualização lançada, a Epic Games permitia aos jogadores que comprassem 1.000 V-Bucks (créditos) no jogo, pelo valor de $7,99, com a quantia indo diretamente para a Epic Games, contornando o sistema de compras da Apple embutido na aplicação. Atualmente, o Fortnite não se encontra mais disponível para download tanto para o iPad como para o iPhone. Sobre esta decisão levada a cabo pela Apple, a mesma forneceu uma declaração ao website de notícias MacRumors, que podes consultar a seguir:

Hoje, a Epic Games tomou o passo infortuito de violar as diretrizes da App Store que são aplicadas de igual forma a todos os desenvolvedores e projetadas de forma a manter a loja segura para todos os nossos utilizadores. Como resultado, a aplicação Fortnite foi removida da loja. A Epic ativou um recurso que não foi revisto ou aprovado pela Apple, e fê-lo com a intenção expressa de violar as diretrizes da App Store sobre pagamentos dentro da aplicação, que se aplicam a todos os desenvolvedores que vendem bens ou serviços digitais.

Até esta manhã era incerto se a Epic Games dispunha de alguma permissão para contornar a regra de pagamentos, dada a clara violação das diretrizes de pagamento definidas pela Apple. No guia da Apple direcionado à App Store, a diretriz 3.1.1 proíbe o uso de mecanismos próprios de pagamento para além da aplicação, onde se incluem os códigos QR, botões, links ou outros chamarizes que redirecionem o utilizador para métodos de pagamento não aprovados pela Apple. Dada a remoção do Fortnite da App Store, é agora claro que a Epic Games voluntariamente contornou as regras da Apple ao oferecer a opção de pagamento direto.

A Epic Games justificou o lançamento da atualização pelo facto de aplicações de bens e serviços, como a Uber, não serem obrigados a usar os mecanismos de compra dentro da aplicação, pelo que o Fortnite deveria ser tratado da mesma forma. Para juntar à sua declaração, a empresa chamou de "exorbitante" a taxa de 30% que quer a Apple quer a Google cobram sobre as compras dentro da aplicação.

Em resposta à declaração da Apple e à remoção de Fortnite da App Store, a Epic Games anunciou uma nova curta intitulada Nineteen Eighty-Fortnite, como crítica cómica/sarcástica ao anúncio da Apple de nome "1984", ou Nineteen Eighty-Four. O anúncio já se encontra disponível no canal do YouTube Fortnite.

Como esta história não poderia ficar assim, a Epic Games avançou com um processo contra a Apple pela decisão tomada por esta. No processo, a Epic Games acusa a Apple de procurar controlar os mercados, bloquear a concorrência e sufocar a inovação, usando "práticas monopolísticas nos mercados" contra os desenvolvedores da Apple.

Com o processo, a empresa criadora do Fortnite afirma que o seu objetivo não é um pagamento monetário. Em vez disso, a Epic pretende garantir "medidas cautelares" no mercado de distribuição de aplicações para iOS e no mercado de processamento de pagamentos, apontando para largos milhões de consumidores e milhares de desenvolvedores de aplicações para terceiros.

O que achas das medidas tomadas pela Apple? Partilha connosco na secção de comentários.