Sabe o que é o catfishing e como te podes proteger dos hackers

Sabe o que é o catfishing e como te podes proteger dos hackers

O catfishing é um tipo de fraude em que uma pessoa se faz passar por outra ou assume a identidade de outra na internet.

Redação iFeed
∙ 3 minutos de leitura

Há várias razões na base deste tipo de “esquema”. Algumas pessoas, sem intenções maliciosas, poderão simplesmente querer conversar mas ser tímidas. Outras pretenderão cometer ciberbullying ao abrigo do anonimato. Já o “stalking” é um motivo óbvio para ocultar a identidade, nomeadamente quando se quer espiar uma pessoa conhecida (ex-esposos, etc.). Os mais graves motivos serão, sem dúvida, a fraude para extorsão de dinheiro ou preparação para um futuro rapto (especialmente preocupante no caso de crianças e adolescentes).

O que significa catfish?

Não existe uma tradução de catfish e é de esperar que a língua portuguesa, como em tantos outros casos, venha a adotar a palavra original em inglês. O significado de catfish (em português, “peixe-gato”) tem uma origem algo obscura, estando associado ao documentário de 2010 com o mesmo nome e a um mito segundo o qual comerciantes de peixe enviariam peixes-gato juntamente com bacalhaus (ambos vivos, em tanques) para mercados distantes de modo a manter o bacalhau fresco, devido ao assédio do peixe-gato. O certo é que o termo ganhou “tração” a nível internacional – talvez pela semelhança com o termo phishing, outro dos grandes perigos da internet atuais.

Os perigos do catfishing na prática

Se o phishing implica que a pessoa aceite instalar no seu dispositivo (computador ou telemóvel) um ficheiro (malware, ransomware, etc.) que dará controlo, remotamente, a um hacker, o catfishing aumenta de sobremaneira essas possibilidades. O phishing joga com o impulso súbito, tentando levar a pessoa a clicar num link ou descarregar um ficheiro antes de raciocinar com cautela. No catfishing, se a pessoa falsa já tiver criado confiança com a vítima, o envio de algum tipo de malware é bem mais fácil; a vítima aceitará clicar ou descarregar muito mais facilmente.

Mesmo sem uma ação deste género, a vítima pode facilmente cair nas mãos do perpetrador de catfishing. Revelando-lhe segredos da sua vida, poderá posteriormente ser vítima de chantagem ou facilitar um futuro rapto ou roubo.

Como reconhecer o catfishing

O catfishing é muito mais elaborado e difícil de executar que o phishing, por razões óbvias. O phishing é geralmente executado por hackers que procuram atingir milhares ou milhões de pessoas (exceto em casos muito particulares como o de Rui Pinto). O catfishing é direcionado a pessoas específicas e é, por isso, muito mais raro. Mas quando sucede, pode ser muito mais perigoso também.

Vejamos alguns sinais que indicam que se pode estar perante uma identidade falsa online:

  • Desaparecimentos súbitos. Se uma pessoa online recusa ser confrontada com uma inconsistência ou situação estranha e/ou não aparece mais, era seguramente um catfisher.
  • Insistência num determinado software. Qualquer pessoa poderá utilizar meios largamente conhecidos para comunicar, desde redes sociais (Facebook, Instagram) a apps de chamadas (Zoom, Hangouts) ou ao inevitável Whatsapp. Uma pessoa desconhecida que insista na utilização de uma ferramenta pouco conhecida torna-se suspeita.
  • Tornam-se amigos muito rapidamente. Uma amizade leva tempo a consolidar. Um amigo novo que insiste em tornar-se presente muito rapidamente, que revela “segredos” e pede revelações em troca, torna-se estranho.
  • Começam a falar de dinheiro. Um amigo novo online que começa em pouco tempo a comentar que precisa de dinheiro devido a infelicidades tocantes tem boas hipóteses de ser um vigarista.

Dicas para defenderes-te do catfishing

Usa uma VPN para navegar pela internet regularmente. A VPN não impedirá que um estranho estabeleça contacto contigo ou com os teus filhos, se os tiveres, mas a quantidade e qualidade de informação a que esse criminoso poderá ter acesso será bem menor. Ao encriptar as comunicações enviadas e proteger a privacidade do utilizador, a VPN dificulta imenso a tarefa de terceiros que queiram lançar “iscos” sob uma identidade falsa.

Limita ao mínimo a informação pessoal que dás a desconhecidos. Pelos mesmos motivos, limita a informação por ti partilhada nas redes sociais e na internet em geral. Isto implica refrear as partilhas que fazes, limitá-las a determinadas pessoas e configurar as tuas redes sociais para os níveis máximos de privacidade.

Suspeita de pessoas que não conheces, tal como o farias no mundo “offline”, “físico”, ou real (como lhe queira chamar). Ensina os teus filhos a não falar com estranhos na internet, tal como os ensinaste a não fazê-lo na rua.

Artigo redigido pela NordVPN

A tua subscrição no iFeed foi efetuada com sucesso.
Bem-vindo de volta! Iniciaste sessão com sucesso.
Perfeito! O teu registo foi concluído com sucesso.
O teu link expirou
Parabéns! Verifica o teu e-mail e utiliza o link para iniciar sessão.