Pikmin Bloom obriga a rastreamento de dados com o login por Facebook

Pikmin Bloom obriga a rastreamento de dados com o login por Facebook

O novo jogo que está a criar sensação. Mas antes tens que dar umas autorizações. Estás disposto a isso?

Gonçalo Antunes de Oliveira, André Fonseca
∙ 6 minutos de leitura

Prelúdio

Antes de começar este artigo confesso: eu não conhecia este jogo. Devo ser demasiamente velho ou simplesmente desinteressado por jogos.

Mas pelo contrário, sou profundamente interessado no zelo pela privacidade na sociedade (agora chamada de) Metaverso em que já estamos a viver. E não é porque o Mark Zuckerberg decidiu renomear a sua empresa. Isso foi apenas uma formalidade. Ora vejamos: se o Facebook, Messenger, Instagram e WhatsApp já lhe pertenciam, quer dizer, o rastreamento e cruzamento de dados já era uma realidade.

Big Brother is watching you. E não. Não me refiro ao programa de entretenimento, mas sim ao livro "1984" de George Orwell. Embora o Big Brother te esteja sempre a observar, há algumas medidas que poderás tomar para evitar o absoluto exagero a que chegamos hoje em dia.

E a Apple encarregou-se de dar um passo importante nesse sentido: aquando do lançamento do iOS 14.5, na página para developers sobre a App Store, a Apple foi absolutamente clara:

A App Store foi projetada para ser um lugar seguro e confiável para os utilizadors descobrirem aplicações criadas por developers talentosos de todo o mundo. As aplicações na App Store obedecem a elevados padrões de privacidade, segurança e conteúdo porque nada é mais importante do que garantir a confiança dos utilizadores.
Para a submissão de novas aplicações e atualizações, será necessário fornecer informações sobre algumas das práticas de recolha de dados levada a cabo pela aplicação na página do produto.
E a partir do iOS 14.5, iPadOS 14.5 e tvOS 14.5, deverá solicitar a permissão para rastreamento dos seus dados nas aplicações e websites de outras empresas.

Podes ler mais sobre a questão da Privacidade do Utilizador e a Utilização de Dados aqui:

User Privacy and Data Use - App Store - Apple Developer
The App Store is designed to be a safe and trusted place for users to discover apps created by talented developers around the world.

Pikmin Bloom

Trata-se de um jogo gratuito da Niantic, em colaboração com a Nintendo, que, recorrendo à extraordinária tecnologia da realidade aumentada, os jogadores terão que ajudar o Pikmin a florescer e desabrochar para assegurar as suas memórias.

É um jogo extremamente apelativo, sobretudo para as camadas mais jovens, assente em pressupostos inocentes e bonitos como ajudar, aprender e lutar contra dificuldades, num contexto de pétalas e rastos de flores. E é bom para a Saúde porque nos obriga a caminhar e a explorar o mundo que nos rodeia.

No fim do dia, o jogo retorna o número de passos que demos e ver as fotografias que tirámos durante o dia. Giro, não é? Pois. Mas para esse efeito, terás que dar a permissão para o querido Pikmin utilizar a tua localização, câmara, microfone, informações de ligação Wi-Fi, fotografias, multimédia e ficheiros. E mais qualquer coisinha...

Antes de começar a jogar

Depois desta tonelada de dados que aceitaste a priori, chega o momento entrar no jogo que está, no momento em que estou a escrever este artigo, em 12.º lugar no ranking dos jogos de Aventura, definido para pessoas com mais de 9 anos de idade.

Onde estás precisamente? Em que dia, mês e ano exatos nasceste? Pronto, até aqui, enfim. É o que é. Mas a parte seguinte é que é muito curiosa. É verdade que existem quatro modos de criar uma conta. Mas uma delas deixa a pulga atrás da orelha.

Criar conta

Pois então o, digamos, método tradicional de colocar um endereço de e-mail, já não existe. Sejamos rápidos e avancemos com as coisas porque o tempo é escasso! São quatro as possibilidades:

  • Nintendo
  • Google
  • Facebook
  • Apple
Quando optas pelo Facebook, a coisa torna-se estranha: ou permites o rastreamento de dados, ou vai à tua vida e escolhe uma das outras opções.

O mesmo é dizer que, ou contornas as regras impostas pela Apple, escolhendo por tua livre e espontânea vontade desativar a ferramenta de proteção de rastreamento de dados, ou, pelo menos através do Facebook, não conseguirás começar a jogar.

Mas não deixa de ser estranho que no documento de Política de Privacidade da própria Niantic, datado de 27 de Outubro de 2021, as referências ao Facebook são as seguintes (aqui apresentadas em Português do Brasil):

  • Se você optar por vincular sua conta no Facebook aos serviços, nós iremos coletar uma ID única de usuário fornecida pelo Facebook e, se autorizado por você, o seu e-mail registrado no Facebook.
  • Se você optar por habilitar a permissão Amigos Usuários do Facebbok disponível em alguns de nossos jogos, nós iremos importar da sua conta no Facebook vinculada a lista dos seus amigos que também jogam o jogo e que habilitaram o Amigos Usuários do Facebook.
  • Se você habilitar essa permissão, a sua imagem de perfil no Facebook e o nome na sua conta no Facebook ficarão visíveis para seus amigos no jogo.
  • Você pode mudar de ideia e cancelar a amizade com outros jogadores a qualquer momento nas suas configurações de Amigos no aplicativo.
  • Você pode também cancelar as permissões do Facebook para os nossos jogos diretamente nas suas configurações de conta do Facebook.

Consulta o documento completo aqui:

Política de Privacidade da Niantic

Conclusão

Valendo o que vale, esta notícia data de 2018 no website do periódico Mirror afirma que "Um em cada 10 Millennials preferiria perder um dedo do que abdicar do seu Smartphone".

Bom, não exageremos (ou será que devemos?). Mas o facto é que o Mark Zuckerberg quis levar a Apple a tribunal, alegando o receio de perda de receitas no iOS, publicou anúncios de página inteira na capa dos principais jornais em forma de protesto e, alegadamente até se ofereceu para ajudar a gigante Epic Games contra as "políticas injustas" da Apple.

Em maio deste ano, a jornalista da reputada revista Forbes Kate O'Flaherty, dedicada às questões da cibersegurança, publicou um artigo intitulado "Todas as formas de como és rastreado pelo Facebook e como impedi-lo".

All The Ways Facebook Tracks You And How To Stop It
Is Facebook really listening to everything you say via your smartphone or laptop mic? Here’s how Facebook tracks you, and what you can do about it.

É muito interessante este artigo, que na sua secção final te diz que ainda assim, o Facebook continua a recolher os teus dados, mesmo sem estares a ser rastreado.

Portanto, podemos fazer tudo, mas não podemos fazer nada, nem sequer começar a jogar, se não abrirmos os portões da nossa vida privada ao nosso amigo Pikmin.
Pelo menos através de uma conta Facebook, via através da qual, supostamente, e segundo as Políticas de Privacidade da própria Niantic, à data deste artigo, em lado algum referem o impedimento do acesso ao  jogo sem a desativação da App Tracking Transparency da Apple.

O que achas disto? Mais um protesto do Facebook contra a defesa da privacidade, ou algo de mais recôndito?

Mas enfim, o Metaverso é uma realidade que mistura as realidades e, não exagerando com a ideia de preferir cortar um dedo a ficar sem o telefone, a verdade é que já é extremamente complicado existirmos no nosso dia a dia sem ele.

Submetemo-nos ou reagimos?

Um agradecimento especial ao David Martins da Silva pela sugestão do tema.

A tua subscrição no iFeed foi efetuada com sucesso.
Bem-vindo de volta! Iniciaste sessão com sucesso.
Perfeito! O teu registo foi concluído com sucesso.
O teu link expirou
Parabéns! Verifica o teu e-mail e utiliza o link para iniciar sessão.