A trama entre Apple e Epic continua nas barras dos tribunais e ainda não tem fim à vista. No iFeed, temos acompanhado ao pormenor a resolução deste caso, para que não percas pitada. A primeira sessão em tribunal resultou num empate técnico, já que a Apple conseguiu que o Fortnite se mantivesse fora da App Store e a Epic manteve ativas as contas e ferramentas do Unreal Engine.

Agora, de acordo com o noticiado pela Reuters, a Epic Games entrou com um pedido formal em tribunal para que este impedisse a "retaliação" da Apple (como assim lhe chamou) e que fosse autorizado o regresso do popular jogo Fortnite à App Store. Este pedido aconteceu pouco mais de uma semana depois da Apple ter cancelado a conta da App Store usada pelo Fortnite.

A meu ver, o pedido efetuado pela Epic Games denota um tom um tanto ou quanto agressivo, marcado pelo possível rancor de todo o processo que se tem desenrolado. É possível ver que a Epic considera as ações da Apple não só uma ação isolada contra a sua empresa, mas um "claro aviso" para outros desenvolvedores:

"Este foi um aviso claro para qualquer outro desenvolvedor que ousasse desafiar os monopólios da Apple: sigam as nossas regras ou iremos cortar o acesso a mil milhões de utilizadores de iOS - desafiem-nos e iremos destruir o vosso negócio."

A juntar a este relatório, a Epic assume a probabilidade de sofrer "danos irreparáveis" se o Fortnite não estiver disponível na App Store. No mesmo relatório, a empresa da maçã é chamada de "monopolista", mantendo o poder de mercado graças à proibição da introdução de qualquer concorrência competitiva.

O pedido preenchido pela empresa criadora do Fortnite foi feito no Tribunal Distrital dos Estados Unidos, no distrito do Norte da Califórnia. O objetivo deste pedido é claro: a reintrodução do Fortnite na App Store. Vemos aqui claramente uma batalha entre duas empresas onde ambas ficam prejudicadas a vários níveis. Não estou apenas a falar financeiramente, mas também em termos de reputação e bom nome de ambas as empresas, cujas posições tomadas podem levar consumidores a tomar partidos.

A Apple já havia dito que não se opunha ao regresso do Fortnite à App Store mediante a atualização do jogo para que fosse retirada a opção de pagamento direto à Epic dentro da aplicação. Em resposta, a Epic afirma que ao fazê-lo estaria a "conspirar com a Apple para manter o seu monopólio sobre pagamentos dentro de aplicações no iOS", pelo que aceder ao pedido da empresa da maçã está fora de questão de momento.

Para quando um fim para esta "novela"? Não sabemos e como muitos dos utilizadores do jogo Fortnite e acompanhantes do mundo Apple, estamos ansiosos para ver o desfecho. Iremos manter-te a par.