"Now & Then": morte e mistério nesta série bilingue da Apple TV+ (Crítica)

Uma temporada que se distingue pelo elenco, mas que falha pelo argumento vulgar.

As séries criminais têm replicado, nos últimos anos, uma fórmula de sucesso que permite cativar o seu público ao longo da temporada. O tropo cinematográfico pode variar, mas é comum que a premissa da série gire em torno de um grupo de amigos que se depara com um acidente fatal e que deve lidar com as consequências dos seus atos. Não importa se existe um salto temporal entre o momento em que a tragédia ocorre e os momentos subsequentes – tal como acontece na série Yellowjackets, do Showtime –, os fantasmas do passado acabam sempre por voltar para assombrar a vida dos protagonistas. Esta fórmula é repetida numa das séries mais recentes do serviço de streaming da Apple, intitulada Now & Then.

A 20 de maio de 2022, a Apple TV+ estreou Now & Then, uma série dramática dividida em oito episódios. Como o título indica, Now & Then acompanha um grupo de melhores amigos da faculdade, quando as suas vidas mudam para sempre, durante um fim de semana de celebração que termina com a morte de um deles. Após a tragédia, a linha temporal divide-se e o espetador é guiado até ao tempo presente, onde a ação se desenrola. É nesta fase que a série começa a explorar a diferença entre as aspirações dos jovens e a realidade da vida adulta, ao colocar os personagens novamente em risco, vinte anos depois.

Criada por Ramón Campos, Teresa Fernández-Valdés e Gema R. Neira, Now & Then é a primeira série bilingue da Apple TV+, filmada em inglês e espanhol. Os criadores acumulam ainda o papel de argumentistas, tendo já trabalhado juntos noutros projetos: As Telefonistas e Jaguar da Netflix. O elenco reúne alguns rostos conhecidos do entretenimento latino-americano, como Marina de Tavira (Roma), Rosie Perez (Birds of Prey, The Flight Attendant), José María Yazpik, Maribel Verdú, Manolo Cardona, entre outros.

O lançamento de uma série em espanhol mostra o compromisso da Apple TV+ em diversificar o seu catálogo e representa os primeiros passos na tentativa de fazer televisão global. Now & Then teria o potencial necessário para se juntar a outras séries mainstream não inglesas, não fosse a fórmula utilizada pouco acrescentar ao género. Apesar de a premissa ser atraente e focar-se na encenação de uma tragédia – que na realidade se trata da cena de um crime –, não consegue diferenciar-se de outros títulos lançados. A história lembra, inclusive, o filme de 1997 Sei o Que Fizeste no Verão Passado. A repetição do conceito só se consegue justificar pelo facto de o enredo prender a atenção do espetador e por possibilitar a empatia ou ligação a uma ou mais personagens. Mas nem aqui Now & Then se destaca.

Embora se foque na morte de um elemento do grupo, Now & Then aborda também o amadurecimento dos personagens, sem se focar tempo suficiente em cada um deles. Numa das primeiras cenas, os personagens partilham os sonhos e ambições que têm para o futuro, mas logo depois ficamos a saber que nem todos conseguiram atingir os seus objetivos. Marcos (Manolo Cardona), por exemplo, usa os seus contactos e a riqueza da sua família para se tornar num dos cirurgiões mais bem-sucedidos de Miami. Já Pedro (José María Yazpik), por outro lado, é um dos principais candidatos a presidente de Câmara e parece ter encontrado na relação com a sua mulher, a típica história de amor juvenil com grande sucesso. Quanto aos restantes colegas do grupo, é justo dizer que nem todos tiveram a mesma sorte, e precisam de trabalhar afincadamente para conseguirem pagar as suas contas. Estas dinâmicas de classe desempenham um papel importante na série e ditam as diferenças drásticas que existem entre os vários personagens.

Uma das principais falhas em Now & Then tem a ver com a falta de profundidade dos intervenientes. Em apenas oito episódios, é bastante difícil desenvolver todos os personagens, o que faz com que praticamente todos se tornem estáticos e, consequentemente, o espetador não consiga sentir empatia. Os personagens são impedidos de brilhar por conta do tempo limitado da série e da pressão que aumenta à medida que a história desenlaça. Somos levados a sentir até alguma antipatia pelos personagens e a achá-los superficiais.

A utilização de flashbacks e a troca dos atores mais velhos por atores mais jovens tem, por vezes, o efeito oposto e quebra o ritmo da série. O espetador é obrigado a revisitar o passado, quando já sabe, desde o primeiro episódio, que uma tragédia aconteceu e existe uma investigação em curso para apurar todas as responsabilidades.

Em suma, Now & Then não se destaca em termos de história do que já foi feito noutros filmes e séries do género, mas pode ser uma opção plausível para os fãs de thrillers e crime. É interessante ver o catálogo da Apple TV+ ser preenchido com séries bilingues que não se posicionem na esfera de influência de Hollywood, mesmo que o produto não represente exatamente uma inovação.

Now & Then está disponível em exclusivo no serviço de streaming Apple TV+. É composto por oito episódios que foram lançados semanalmente até ao dia 24 de junho.

Nota: 6/10

Now & Then (Now & Then – 20 de maio de 2022)

Duração: oito episódios

Criadores: Ramón Campos, Gema R. Neira e Teresa Fernández-Valdés

Argumento: Curro Serrano, Gema R. Neira, Javier Chacártegui, Paula Fernández, Ramón Campos e Teresa Fernández-Valdés

Elenco: Alicia Jaziz, Alicia Sanz, Dario Yazbek Bernal, Jack Duarte, Jimmy Shaw, Jorge Lopez, José María Yazpik, Manolo Cardona, Maribel Verdú, Marina de Tavira, Marita de Lara, Martín Fajardo, Miranda de la Serna, Rosie Perez, Soledad Villamil, Steve Howard, Željko Ivanek