Após anunciar o Apple Watch Series 6, que veio acompanhado de um modelo mais modesto chamado Apple Watch SE, a Apple implementou, pela primeira vez no seu relógio inteligente, um sensor capaz de monitorizar os níveis de oxigénio no sangue, algo extremamente útil em épocas de pandemia da Covid-19.

Entretanto, a gigante de Cupertino não revelou em quais países o recurso estaria disponível pois, ao que tudo indica, assim como o ECG (que busca por notificações de ritmo irregular para frequência cardíaca), ele precisaria de aprovação de autoridades de saúde para funcionar. No site oficial de suporte temos uma lista com mais de 100 países onde a monitorização de oxigénio no sangue está disponível:

Como podemos ver na imagem acima, para a nossa sorte, Portugal e Brasil estão presentes na lista. Isto implica dizer que, aparentemente, a Apple não precisará resolver burocracias nas regiões citadas, talvez por já se ter adiantado com estas ou, até mesmo, por não necessitar de aprovações extras – as informações estão um pouco nebulosas devido à ausência de detalhes mais concretos.

A monitorização do oxigénio é feita através da aplicação Blood Oxygen, que utiliza LEDs vermelhos e verdes em conjunto com luz infravermelha para colher os dados que chegam através da quantidade de luz refletida pela pele. Os cálculos são realizados por algoritmos que computam a percentagem mediante a cor do sangue (quanto mais vivo for o tom de vermelho, mais oxigénio ele possui).

O Apple Watch Series 6 está disponível para compra na Apple Store online a partir de 439 € na sua variante com bracelete Loop desportiva ou 489 € com a nova bracelete Solo entrançado. O primeiro tem prazo de envio de até 6 dia úteis, já o segundo pode levar até 8 semanas para chegar após a compra.